Em tempos de crise, escolha não participar dela!

05/07/2015 21:40

Este artigo não traz uma solução pronta para conviver com crises nem se faz como cartilha ou manual. A intenção é levar você a refletir sobre as suas possibilidades e potencialidades a serem desenvolvidas para se sobressair em momentos tempestuosos de forma sustentável e responsável.

Há alguns dias recebi, através de uma rede social, um vídeo muito interessante que tratava sobre a chamada “crise econômica”. No discurso de um palestrante, este foi perguntado sobre qual era a decisão que ia tomar diante da crise que assola o país. A resposta dele foi bastante objetiva: “decidi não participar”, disse ele.

Mas, como podemos imaginar que alguém possa ter uma resposta tão simples e, ao mesmo tempo, tão instigante em meio a um assunto tão delicado? Fiquei imaginando possíveis artifícios que o referido palestrante possa ter consigo e que o torne tão sóbrio no trato com problemas e dificuldades (crise) que, para muitos, se torna um pesadelo. E neste meio termo, acabei por encontrar algumas sugestões de comportamento e atitudes que podem ser a grande solução para lidar com momentos tempestuosos. Convido-os a mergulhar nas três propostas a seguir:

1 - Compreenda a mudança. Desde que o mundo é mundo, as mudanças são constantes: econômicas, culturais, sociais, tecnológicas, científicas e outras tantas com as quais lidamos dia-a-dia. Neste sentido, informação é fundamental e são inúmeras as formas e fontes para obtê-la. Saber quais as áreas afetadas pela mudança serve como proteção natural para compreender e intervir, quando necessário. Se considerarmos que as sociedades são acostumadas com mudanças em vários aspectos, até mesmo o fato de não haver uma mudança significativa já é por si só uma mudança, ou seja, a falta de mudança também é um tipo de mudança de hábitos na humanidade. Não há como fugir da mudança. Mas há diversas formas de agir diante das mudanças, inclusive diante de pequenas ou grandes crises. Lembre-se desta frase: “Você não precisa de uma reengenharia radical para ser mais eficiente. Muitas vezes, a grande mudança é uma simples questão de reposicionamento” (Paulo Ursaia).

2 - Seja criativo. Em situações dificultosas em que a maioria das pessoas enxergam fantasmas e convivem com o medo, as pessoas criativas percebem a oportunidade de lançar novas ideias, novos produtos e novas formas de intervir na realidade. Estimule o potencial criativo que existe dentro de você e, sem sombra de dúvidas, encontrará respostas e soluções surpreendentes. Depois, é hora de arregaçar as mangas e ser proativo. Siga o conselho eternizado pelo físico-teórico alemão Albert Einstein: “Não há nada mais insano do que fazer a mesma coisa, dia após dia, e esperar resultados diferentes”.

3 - Seja empreendedor. Viver de forma empreendedora não é tão simples, mas é perfeitamente possível desenvolver as principais características do comportamento empreendedor. Entre elas, cito: busca de oportunidades e iniciativa; persistência; comprometimento; estabelecimento de metas e autoconfiança. Neste século de mudanças cada vez mais repentinas, o empreendedorismo se mostra como um dos principais meios de se adaptar e inovar perante as novas tendências. Jeffrey Timmons, um dos gurus do empreendedorismo, cita que “o empreendedor é alguém capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidades, buscando e gerenciando recursos para transformar oportunidades em realizações de sucesso”.

A mudança e a crise dependem, imprescindivelmente, da forma como você a vê e da forma como você a encara. Sucesso e mãos à obra!

AUTOR: Humberto Lacerda

Voltar

Deixe seu comentário:

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário

© 2013 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátis

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!